quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Eu quero enfeitar você


Eu não quero este poder
Toma ele pra você
Eu só quero cantar, gozar e Gastar da vida
Eu só quero um cafuné
Um cobertor de orelha fixo
Neste inverno tão rígido
Fingir que acredito em você
Eu quero enfeitar você
Eu só quero me perder
Eu não quero este poder
Chamar o sapo de príncipe
Comer você de manhã
E quando tudo parecer
Que está quase perdido
Que foi quase esquecido
Que não é mais minha maçã
Eu quero enfeitar você ...
Vanessa da Mata

ps*:Pra início do princípio do começo ta bom,depois?Ah,depois a gente vê...


4 comentários:

Paulo Tamburro disse...

OI, COISA BOA DE BRASÍLIA! É TÃO DIFÍCIL, CONCORDA?

Luciana disse...

Paulo,desculpe a minha ignorância mais o q é tão difícil?Um cafuné?um cobertor de orelha fixo? ou uma coisa boa em Brasília?rs rs

Paulo Tamburro disse...

LUCIANA Eu diria que um cafuné,como cobertor fixo de orelha, até em Brasília seria uma espetaculosidade formidabilíssima e à altura do Cristo Redentor, que coitado, abaixaria até os braços de inveja!!! Um abração carioca, grande Luciana.Seu blog é duca.

Luciana disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKK Falando difícil hein!rs rs
Então,eu acho que o Cristo ficaria vermelho de vergonha,isso sim!rs Qnto ao "duca",seria dubaralho?rs
Gostei do seu tbm,gosto da forma que escreve.