quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Eu me vi





De tanto tentar me ajustar e ficar "só comigo mesma",acho que pirei.Juro(rs)
Cara,muito engraçado!(Lê-se,estranho)
Minha mãe teve algumas dores no abdômem e a conclusão dos médicos(que não sabiam de nada(?))foi fazer uma laparotomia exploradora.Daí abriram(um corte enorme e horroroso)e continuaram sem saber o que foi,pois na cavidade só(?) encontraram 2L de um líquido cristalino,nada de apêndice(a princípio supunha-se que o seu apêndice havia supurado)e aparentemente tudo normal.
Se você achou estranho,faça aquela pipoca e volte pra cá.Porque você ainda não leu nada.
Bem,como sou uma boa filha, a única mulher eu que fiquei com a mamys por esses dias.(salvo, duas tardes)Daí,numa noite que prometia muita animação regada a idas ao banheiro,roncos,gemidos(e essses não tem nada a ver com sexo)luz acesa,luz apagada,atenção se o soro acabou,se ainda pinga. me chega um enfermeiro fazendo piada da piada que eu acabara de fazer da minha mãe.(bom humor sempre né?)
Gente,não sei o que deu nele mas começou a falar da minha vida. mais que a Sirene(visinha fofoqueira aqui do prédio)
Imagina,tu NUNCA viu o cara na tua vida e o louco(?) começa a falar coisas que realmente aconteceram.É de ficar de boca aberta não?(Eu to andando com um babador desde então)
Ele me frisou algumas coisas importantes e me disse como lidar com elas.(coisas que nem minha mãe tinha dimensão da importância na minha vida)Ele acertou TUDO.(sem que eu perguntasse uma palavra)Mas pra mim o principal foi como ele me mostrou pra mim mesma.Um lado que nunca havia visto.Que eu jamais imaginava ter.
Eu tenho um bloqueio.(e imagino que eu e a torcida do Flamengo)
Mas nunca tinha visto assim.Como eu posso explicar?
Minha mãe sempre trabalhou muito(2,3 empregos) e quem cuidava de mim
era minha vó.Então desde muito cedo eu aprendi a me virar sozinha.Mamys me deu carinho da forma que ela recebeu(pouco),não por ser ruim ou fria,mas quando a gente é moldada em  forma de estrela não vai ser coração nunca né?Ela não sabia agir muito diferente do que aprendeu(apesar do esforço e de todos os Lollos
que ela deixava todas as manhãs embaixo do travesseiro,dos parques aos domingos e dos inúmeros festivais de sorvete)e eu cresci meio que auto suficiente.Daí como "não preciso" de ninguém,não sei agir diferente e muitas vezes pareço arrogante,prepotente.E quando vai pra área sentimental é que o negócio fica feio MESMO.
Gente,eu NÃO SEI fazer aquelas brincadeirinhas bobas que casais normais fazem(bichinhos no nariz do outro,carinho no rosto,cafuné...),não consigo ser carinhosa.(não que eu trate mal,xingue ou coisa assim.Mas não sou melosa)Dizer eu te amo?Vixi,só com reza brava. ou seria nem?
Quero deixar tudo bem claro pra que não achem que eu sou o sub zero.
Na hora do que interessa sexo,sou 100% ativa e não existe nenhum bloqueio. e se tivesse também,eu tirava no chicote Eu gosto,e gosto muito mesmo.Obrigada.
A coisa não anda,não andava(porque como diria o rei  "Daqui pra frente,tudo vai ser diferente...")é so no quisito "vestido"(rs) do namoro.
E vocês acreditam que eu nunca tinha visto isso?
Sempre achei normal "não ir atrás",ter orgulho sabe?Inclusive me achava o máximo por isso.Mas começo a enxergar esse orgulho todo como medo do não,de ser preterida.Ou então como eu fui moldada(sei ser carinhosa,mas so um pouco)
Posso estar errada,(não estudei pisicologia)mas acho que o "enfermeiro vidente" me quebrou um galhão.
Será que foi Deus me dando uma dica mais clara?(ter uma filha "loira",até pra Deus pode ser um pouco difícil. hehehe)

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Pretérito nada perfeito



Falar de quê,quando meu coração esta tão cheio?Ou seria vazio?O que acham de despedaçado?
Imagina que você acabou de correr uma maratona...(45km)Imaginou?Ficou cansado só de imaginar?Pois é exatamente assim que eu me sinto.EXAUSTA!
Fazendo uma rápida avaliação da minha vida,concluí que preciso de um tempo só pra mim.
Eu,Eu mesma e Luciana(você também viu aquele filme?)
Não sei se isso é comum a todo mundo,mas eu nunca paro,nunca espero.Vivo numa correria frenética sempre precisando de mais.
Mas,de mais o quê?
Anda responde Luciana!(Me dei um leve sacolejo nos ombros)
Não tenho essa resposta agora.Na verdade,nem sei se terei algum dia.
Eu gosto do muito,do exagero,da gargalhada,de banho numa chuva torrencial,de sorvete de abacaxi,da bagunça,do prazer,do ouvir,de cachoeira em dias de sol escaldantes,do Davi brigando,da Fefê contando piadas,de cuscuz com manteiga de leite e café doce,cerveja gelada,lua cheia,violão e mordidas no pescoço,água de filtro de barro,paz,amor,sexo,Grey's anatomy,ler,ser feliz,dinheiro,ganhar,de falar,de sentir saudades quando sinto aquele cheiro,falar besteiras...de tanta coisa eu gosto e de muitas tantas outras odeio.
Eu odeio o mentiroso,"amigaaaaaaaaaaa",chuva em dia de festa,ressaca,chorar,não ter voz bonita pra cantar,odeio que Brasília não tenha mar,imaginar alguém ali,acolá,com fome,sede,frio,dor.Odeio injustiça,falta de consideração e respeito,inhame,sentir saudades quando sinto aquele cheiro,ser preterida,bagunça,cortezano,a banda Dejavu,perder,ter esperança,ser impulsiva...
Minha vida ta precisando de muitos ajustes.
Faltam peças importantes no meu quebra-cabeça.Peças essas,que guardei numa caixa e tranquei.Mas sempre soube que uma hora ia  precisar delas.
Joguei todas as 800 peças no tapete,e começo agora a montar.
Perdi muito tempo com coisas irrelevantes. E esse meu jeito de eterna adolescente que eu amo,me dá algumas dores de cabeça.
Sabe a fábula da cigarra?Então,eu sou um pouco parecida com ela.Não costumo sofrer a dor de amanhã.Afinal,quem morre de véspera é Peru.   (e justamente por ser um pouco cigarra,me lasquei incontáveis vezes nesse mundo de meu Deus).
Um dia de calma.
Um dia, do começo do fim do que se foi.
Pretérito imperfeito?Faz parte da vida,da minha história.Alegria,dores,felcidades,solidão...Isso tudo que já foi,me faz repensar, e viver o agora,esperando sempre o melhor da vida pro depois.

"A vida é um quebra-cabeças do qual há peças que nunca serão encontradas, mas podemos deduzi-las..." Abdallah Madi

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Será que eu dancei créu na santa ceia?



Que eu sou louca tá todo mundo careca de saber, alguns estão carecas,mas nem é por isso agora mentirosa?ISSO EU NÃO SOU!!!!
Ta certo que me envolvi com pessoas erradas,mas vou pagar por isso pra sempre?
Estou mais do que disposta a sair dessa.Quero não precisar trocar nem um "oi",porque não acho necessário.Porque até o meu oi é muito bom pra essa pessoa.
Perdoar?O que, se não acha que errou?
Tudo bem,não sou mais nenhuma mocinha inocente,pura e besta. na verdade acho que isso nom ecxiste(como diria Padre Quevedo(ou seria Quededo?))
Mas eu me enganei,redondamente.E quem nunca se fudeu enganou na vida?(por favor nada de pedras,poderiam machucar o meu lindo rosto e assim dificultaria ainda mais pra arrumar um novo namorado)
Karak,sou nova um pouco gasta,mas nova,loira(isso é qualidade?),inteligente,fora parte relacionada a homens bem humorada,cheirosa,(sempre que eu tomo banho pelo menos)sei contar até dez em inglês(êêê \0/),não gosto nem de suinguera,muito menos de funk(essas vocês vão gostar,tenho certeza),fico bêbada rápido(portanto gasto pouco)e mais pelo menos 30 qualidades.
Ah!Quase ia me esquecendo: Sou modesta,humilde.
Mas mesmo com esse tanto de qualidade(?) não me aparece nada que preste chuta que é laço.
Tô pensando seriamente em apelar pra simpatia(vocês viram a Betina da novela?Ela tomou um banho com um monte de mato lá e pegou o Casagrande com um nome desse nem precisava ser bonito daquele jeito.E ainda vem com propaganda? Vai que eu dou uma sorte e sobra um apartamento 2 quartos pra mim né?)
Alguém tem alguma boa pra me indicar?Mas vou logo avisando,nada de cemitério pelada 1/2 noite(não quero assustar nenhum ser do além),nem matar a sogra, já que eu não tenho uma pra matar muito menos andar com arruda atrás da orelha(eu moro em Brasília e o Arruda ta preso,ai vai que alguém acha que eu to apoiando ele?além do que, aquilo fede demais.
Ah,porque eu disse que não sou mentirosa?
Ué,porque não sou!
Procuro falar a verdade na maior parte do tempo,e se minto é pra não me lascar magoar alguém.Então não adimito que falam que eu fiz algo que não fiz.
Não sou Sandy,mas também Paris Hilton é demais né?Sabe de uma coisa?E se um dia eu quizer fazer jaca de pantufa?Paris amiga!hahaha

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Triz




Eu quase consegui abraçar alguém semana passada. Por um milésimo de segundo eu fechei os olhos e senti meu peito esvaziado de você. Foi realmente quase. Acho que estou andando pra frente. Ontem ri tanto no jantar, tanto que quase fui feliz de novo. Ouvi uma história muito engraçada sobre uma diretora de criação maluca que fez os funcionários irem trabalhar de pijama. Mas aí lembrei, no meio da minha gargalhada, como eu queria contar essa história para você. E fiquei triste de novo.
Hoje uma pessoa disse que está apaixonada por mim. Quem diria? Alguém gosta de mim. E o mais louco de tudo nem é isso. O mais louco de tudo é que eu também acho que gosto dele. Quase consigo me animar com essa história, mas me animar ou gostar de alguém me lembra você. E fico triste novamente.
Eu achei que quando passasse o tempo, eu achei que quando eu finalmente te visse tão livre, tão forte e tão indiferente, eu achei que quando eu sentisse o fim, eu achei que passaria. Não passa nunca, mas quase passa todos os dias.
Chorar deixou de ser uma necessidade e virou apenas uma iminência. Sofrer deixou de ser algo maior do que eu e passou a ser um pontinho ali, no mesmo lugar, incomodando a cada segundo, me lembrando o tempo todo que aquele pontinho é um resto, um quase não pontinho. Você, que já foi tudo e mais um pouco, é agora um quase. Um quase que não me deixa ser inteira em nada, plena em nada, tranqüila em nada, feliz em nada.
Todos os dias eu quase te ligo, eu quase consigo ser leve e te dizer: “Ei, não quer conhecer minha casa nova?” Eu quase consigo te tratar como nada. Mas aí quase desisto de tudo, quase ignoro tudo, quase consigo, sem nenhuma ansiedade, terminar o dia tendo a certeza de que é só mais um dia com um restinho de quase e que um restinho de quase, uma hora, se Deus quiser, vira nada. Mas não vira nada nunca.
Eu quase consegui te amar exatamente como você era, quase. E é justamente por eu nunca ter sido inteira pra você que meu fim de amor também não consegue ser inteiro.
Eu quase não te amo mais, eu quase não te odeio, eu quase não odeio aquela foto com aquelas garotas, eu quase não morro com a sua presença, eu quase não escrevo esse texto.
O problema é que todo o resto de mim que sobra, tirando o que quase sou, não sei quem é.

Ela me entende! ou será que sou eu que entendo ela?