sábado, 6 de fevereiro de 2010

Triz




Eu quase consegui abraçar alguém semana passada. Por um milésimo de segundo eu fechei os olhos e senti meu peito esvaziado de você. Foi realmente quase. Acho que estou andando pra frente. Ontem ri tanto no jantar, tanto que quase fui feliz de novo. Ouvi uma história muito engraçada sobre uma diretora de criação maluca que fez os funcionários irem trabalhar de pijama. Mas aí lembrei, no meio da minha gargalhada, como eu queria contar essa história para você. E fiquei triste de novo.
Hoje uma pessoa disse que está apaixonada por mim. Quem diria? Alguém gosta de mim. E o mais louco de tudo nem é isso. O mais louco de tudo é que eu também acho que gosto dele. Quase consigo me animar com essa história, mas me animar ou gostar de alguém me lembra você. E fico triste novamente.
Eu achei que quando passasse o tempo, eu achei que quando eu finalmente te visse tão livre, tão forte e tão indiferente, eu achei que quando eu sentisse o fim, eu achei que passaria. Não passa nunca, mas quase passa todos os dias.
Chorar deixou de ser uma necessidade e virou apenas uma iminência. Sofrer deixou de ser algo maior do que eu e passou a ser um pontinho ali, no mesmo lugar, incomodando a cada segundo, me lembrando o tempo todo que aquele pontinho é um resto, um quase não pontinho. Você, que já foi tudo e mais um pouco, é agora um quase. Um quase que não me deixa ser inteira em nada, plena em nada, tranqüila em nada, feliz em nada.
Todos os dias eu quase te ligo, eu quase consigo ser leve e te dizer: “Ei, não quer conhecer minha casa nova?” Eu quase consigo te tratar como nada. Mas aí quase desisto de tudo, quase ignoro tudo, quase consigo, sem nenhuma ansiedade, terminar o dia tendo a certeza de que é só mais um dia com um restinho de quase e que um restinho de quase, uma hora, se Deus quiser, vira nada. Mas não vira nada nunca.
Eu quase consegui te amar exatamente como você era, quase. E é justamente por eu nunca ter sido inteira pra você que meu fim de amor também não consegue ser inteiro.
Eu quase não te amo mais, eu quase não te odeio, eu quase não odeio aquela foto com aquelas garotas, eu quase não morro com a sua presença, eu quase não escrevo esse texto.
O problema é que todo o resto de mim que sobra, tirando o que quase sou, não sei quem é.

Ela me entende! ou será que sou eu que entendo ela?

9 comentários:

Tyna disse...

Oi Lú, o primeiro texto dela (Tati Benardi) eu li aqui... amei de cara...tbm me identifico com os textos dela... pq será?
rsrsrsr

bjus

Pelos caminhos da vida. disse...

O Caminho Verdadeiro do Ser Humano

Quando encontras o caminho pelo qual teu coração deseja percorrer, não demora e logo passas a sentir...

As águas abençoam a tua presença e dos quatro cantos os ventos chegam e purificam o teu ser.

A chuva na mata, os pássaros velozes, os trovões da grande coragem te sacodem, multiplicando a tua eterna beleza.

Teus pés pisam sobre a terra, renovando a energia que constrói teu saber.

O teu alimento é o amor, irmão sagrado.

Abre teu plexo, expande tuas cores.

Olha além do céu, além do mar...

Olha além de ti, além dos teus pensamentos e encontra tua paz, tua conexão com a verdadeira natureza que a tudo abençoa, pois vem do Grande Espírito.

Teus companheiros, aqueles que vibram no mais puro amor, acompanham teus passos, sempre.

Revigora, há muito para aprender.

Deixa que teu coração te dê a visão e encontra o caminho do verdadeiro ser humano.

Deixa que teu guia esteja à frente e segue a vontade que dele vem.

Ele sabe de ti.

Ama, apenas ama e entrega.

A natureza, junto ao amor do Pai, trará tudo que necessitas para caminhares, com alegria, por ti mesmo.

O que está dito, está dito.

(Jackie Luz).

Bom domingo pra vc Lu.

beijooo.

Deise Duarte disse...

Não pensa!
Ai, desliga esse cérebro e guarda energia só p escrever. Coisa chata ficar pensando Lu! =)

Luciana P. disse...

Puxa, Lu, que texto lindo! Tô arrepiada! Fiquei aqui pensando... por que será que a gente escreve os textos mais bonitos quando está inspirada realmente pelo coração, quando está sentindo de verdade tudo o que está ali em palavras. A verdade é que não conseguimos ser fantasiosos a ponto de criar uma realidade. Dá pra sentir cda detelhe do teu texto como uma grande verdade.
Adorei! Maravilhoso!
Beijos!

Luciana P. disse...

Ops, quem é Tati? Não conheço, de qualquer maneira é lindo!

Daniel Savio disse...

Menina, só vai conseguir amar quando realment botar aquele cara de sorriso encantador citado no texto...

Mesmo que no começo seja uma sacanagem com o cara, o coração só esquece um antigo amor quando há outro dentro dele...

Fique com Deus, menina Luciana Costa.
Um abraço.

Bia Ferreira disse...

Minha querida tudo passa, principalmente se rola uma nova paixão.. esquece o quase e vai fundo..
beijocasss

Deise Duarte disse...

ja senti tua falta...

Bruno Sapo disse...

EXCLENTE postagem! deculpe pela ausência. Mas estou de volta!

bjaum!

SAPO