segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Sai pra lá

Como pode um coração estar vazio e ao mesmo tempo cheio.Sem nenhum espaço pra alguém entrar?
É,eu não sei explicar,só sei sentir.E digo mais,ta bom até!
Há paz na solidão?Acredito que sim,mais só até aonde a solidão não vire monotonia e daí ao invés da paz a carência tome conta da sua vida e a torne uma guerra.
Sim,porque carência faz coisa que até Deus duvida!
Quer exemplo?
 Você estudou com o carinha no ensino médio e ele sempre foi o mais bobão da turma  e não é nerd que eu to falando não,é "bobão" de "burrão" mesmo o mais feio,que sempre usava aquela blusa alaranjada. mesmo quando era obrigatório o uso do uniforme ele usava por baixo.Pra que mesmo? Daí, vocês se encontraram em uma balada e você quando o vê pensa: "Nossa,ele melhorou,a blusa agora é vermelha!Porque eu não dei uma chance a ele quando quis me namorar?Será que é coisa do destino?"
Corre minha filha,corre pras colinas porque a mardita da carência quer acabar com você.

E se ela quiser descambar pro lado de cá,eu arrumo o jeito dela tomar um rumo rapidinho.Neim!

12 comentários:

Luciana Penteado disse...

Hahahaha, a mardita da carência é que faz merda na nossa vida, hahaha...
E quem não pe carente que atire a primeira pedra. Fazer o quê, somos humanos...
Adorei o layout novo. Beijos e boa semana pra ti!

Hod disse...

Oii Luciana,
Primeiro agradecer-te pela deliciosissima fragrância que deixastes em minha atmmosfera. Felizããoo por sua visita.

Em seguida, vislumbro nesse texto algumas particularidade do período da adolescência. Travamos conflitos de toda ordem. É quando o mundo se forma muito forte e egos inflam. Muito do que era ideal, hoje é desejavel, e em alguns casos aceitável.
Porém não existe quem não experimenta carência seja de qual ordem e tamanho for.

Beijo pra ti com muitas bençãos.

Vagner Lopez disse...

Oi Lú! Como você está?

kkk... Rí pácas com a parte da "mardita" carência. E não é que ela tem mesmo essa coisa de nos fazer cegos?! Já fui vítima dela, mas agora estou vacinado.

Um beijaaaço em você. Cuide-se bem.

Hod disse...

KKKKKKKKK... É essa irreverência que gosto em ti Luciana... e a frase tua abaixo é a mias autentica expressão que sabes ser feliz...

"..Penso,e falo muita besteira.Mais sabe de uma? Eu amo ser assim."...

Original. E quando inspirada quiser atender um pedido, o faça discorrendo sobre essa "...ainda estou na "pós adolescência"....K k k k k k k k.

Beijo pra ti querida amiga.

Luciana Klopper disse...

carência, machuca mesmo!

Silvia disse...

Lú...
olha vou te dizer uma coisa, acho até que seu post dá um gancho pra isso.
Eu aprendi a apreciar a solidão, tanto que muitas vezes me irrita quando querem tirá-la de mim. Não que a queira o tempo todo, mas as pessoas muitas vezes não respeitam quando escolhemos a solidão como companhia.
Tem coisas que durante uma conversa me irrita ouvri como: você PRECISA namorar... ou coisas assim. Como assim PRECISO? Não sou eu quem devo decidir isso?
É quase como dizer, vai menina se joga no braço do primeiro estranho que apareça, mas nunca nunca mesmo, experimente se conhecer e gostar de sua companhia.

Beijos e adorei o comentário.

Marcio Nicolau disse...

"o lado bom da solidão", me fez lembrar.

Obrigado pela visita ao InterTextual, volte sempre.

Postagens disse...

Eu sou irmão do Ataniel! Valeu pela passagem no meu blog! é um prazer seguir-la!

Juliana disse...

oie adorei seu blog! e já estou te seguindo!!! :)
venha conhecer meu blog tenho certeza que vc vai amar!
visitar e me seguir tbm :)))

htpp://feelfeelju.blogspot.com


super beijo sucesso

Mauro Castro disse...

Tenho um blusão laranja trilindo.
Há braços!!

Athila Goyaz disse...

Sabia que no fundo no fundo nós, os desengonçados ... somos desejáveis!

kkkk
bjus

PULCRO disse...

Carência... carenciaaaaaa carenciaaaaaaaaaaa
medoooooooooooooooo