sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Faltava...


Ela havia sonhado com praia,sol e mar.Um sonho bom, eu diria.Mas a sensação que teve ao acordar não era tão bonita...devia ter sido por causa da angústia que estava vivendo.
Namorava a alguns anos e o começo,como todos os outros,havia sido perfeito.Ele era o mais atencioso,amoroso e presente dos namorados.O que ela poderia querer mais?
Eles se amavam, (ou pelo menos acreditavam nisso) e faziam tantos planos que até eu,a mais incrédula das pessoas ,acreditei ser possível acontecer.
Só que o tempo,aquele que cura todas as dores, se encarregou de lhes trazer a rotina e junto dela o tédio.As conversas intermináveis de outrora,agora era trocadas fáceis por outros personagens.Um amigo virtual,um vídeo engraçado no you tube e até um programa bobo de TV.
E todos os dias ela via toda aquela cumplicidade se esvair como a areia da praia pelos seus dedos.E não era isso que ela queria.
Queria reciprocidade,queria não pensar em desistir,queria  o amor dele.Mas sabia que algo faltava.
Faltava a paz,a certeza e a calmaria do começo.
Faltava toda aquele desejo de se ter,toda aquela ânsia de ser agora e pra sempre.
Faltava o querer.

2 comentários:

Aldrêycka Albuquerque disse...

Oi Lu,
Muito bom, apesar de triste. É sempre ruim quando um amor tinha tudo pra ser, mas simplesmente não foi. :(

Aparece por lá depois.
http://dreycka.blogspot.com

Abs!
Aldrêycka

Raysla Camelo disse...

Na verdade eu penso que o diálogo é o maior amigo. É abrir o jogo sem ter medo de magoar e saber ouvir sem se magoar também. Dizer que falta tesão se faltar, dizer que falta paixão se faltar e depois de descobrirem tudo o que falta, ver se há disposição e disponibilidade pra redescobrirem a cura. Uma vez eu escrevi um texto sobre a reciclagem do amor, pede pra eles lerem, talvez ajuda.
Mas só talvez.
=)

Lu, escrevi no Sutiã, citei o seu nome, vai lá ler! É versário do 46!