domingo, 27 de junho de 2010

Medo de não resisitir

O medo do que eu quero(?) me atordoa.
As noites voltarem a ser insones,como a muito tempo não era.
A falta se faz mais presente agora que você esta presente.
 Tá,eu sei.Eu preciso me curar.
Preciso te tirar de mim.
Não quero mais que as lembranças em que o teu beijo é sempre o melhor,me atordoem.
Não quero mais que o teu corpo seja o encaixe perfeito.
Quero esquecer: O teu gosto,o teu cheiro,a tua voz,o teu abraço,o teu olhar,o teu sorriso... 
Porque aquela raiva,lembra?Eu já não me lembro mais.
Não quero mais ser tua!
Parado aí!
Nem mais um passo.
Pára,não conte seus planos,não alonga a conversa,não me enreda de novo.
Pára...eu to pedindo...
Porque se você insistir,eu não vou aguentar.
Eu não vou resistir ao seu cheiro,à sua voz,ao seu toque...
Que é tudo que eu preciso pra cair nas tuas garras de novo, e delas nunca mais sair...

6 comentários:

Luciana P. disse...

Que fofo, Lu, adorei, você tgem um jeito tão bom de ler, dá até pena quando acaba. Gosto mesmo desse jeito de envolver na leitura como vc faz. E haja força pra resistir a isso, né.
Oh, vida!


Beijos pra ti!
Bom jogo!

Colhendo, né Amor!? disse...

Que coisa menina...
A paixão tem dessas coisas, querer não querendo.

Mas vou te dizer uma coisa, eu acredito que dá pra contar uma nova história com a mesma pessoa, sim! Porque não muda o enredo?

Beijos

Alexandre Fernandes disse...

Tem horas que resistir fica tão difícil né meu amore?
Eu sei como é isso. A pele responde. E vocÊ fica numa saia justa.

A paixão tem disso mesmo. A gente quer não querendo. Eu sou acometido dessas contradições direto rs.

Espero que a shua história se renove.

Beijos anjo.
Te amodoro!

Alexandre Fernandes disse...

Ah, esqueci de te falar. Meu blog tá fazendo aniversário. Passa lá depois pra comer um bolinho.

Beijos.
=)

Augusto Dias disse...

Nem sempre e preciso cair nas garras: Do jeito que você escreve, pensa, se comporta, aponto isso tudo baseado no que leio de ti, e assim sendo, talvez seja hora dele cair em suas garras, viver sua história, comer do teu mundo, beber da tua vida.
Beijão!!!

Luciana Klopper disse...

Cair nessas garras é armadilha, mas é tão maravilhoso, que a gente não sabe mais a noção do certo ou não! né?