sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Morreu(?)



Porque o passado teima em ser presente?


Talvez seja porque hoje é uma sexta-feira e eu estou em casa,sozinha e assim seja mais fácil me lembrar dele.Não que seja difícil,mais quando se está só,a falta é mais clara.


A solidão deixa a gente doida,sem opção.


Ou talvez seja porque hoje ele não veio,eu não o vi.Não sei pra onde e nem com quem foi.


Só sei que foi.Porque não veio.


E eu o esperei,mesmo sabendo que não devia.Meu coração é teimoso.


Adolescente rebelde,esse meu coração.




O passado ainda vive, e me assombra todas as noites.


Especialmente as de sexta-feira(as de sábado também)


Ele não morreu no meu coração.(ainda,mais ele morre.Ah se morre...)


Queria eu que já tivesse.


Que no meu coração houvesse uma placa com os tão esperados dizeres :


"Aqui jás um amor.


Amor esse que nunca deveria ter nascido.


Amor que nasce num dia de morte,(02/11) eu já devia saber que não era pra viver.


Morreu ele,do coração.


Enfartou.Um,dois,três infartos e foi mais que o suficiente pra não ter mais jeito.


Tentaram de tudo,


Ele lutou,tentou,chorou.Mais não conseguiu.


Não poderá ninguém nunca dizer que foi um perdedor,esse amor.


Isso não,isso não.


*02-11-2007


+16-10-2009


E nesse caso,espero que não deixe saudades"




Aqui jás um amor...

8 comentários:

Aline Borba disse...

Que triste é estar sozinha numa sexta a noite... eu sei... aqui está acontecendo a mesmíssima coisa....
Obrigada pelo comment...

Cris Oliveira disse...

Oi Lu, bom dia...isso é coisa de mulher, rssss
Estamos sempre nos entregando, fazendo das nossas relações as mais importantes, as especiais...tratando nossos "afairs" como se fossem únicos...e o nosso coração é que sofre.

Mas, as paixões estão ai...logo você estará com seu coraçõazinho ocupado as sextas, sábados,domingos e todo o resto da semana.

Um beijão.

Luciana P. disse...

Oi, Lu, concordo com a Cris aí em cima, somos assim, sensíveis e emotivas... Lindo texto, ainda que triste. Falar de solidão sempre nos toca, sempre nos dá as palavras certas que, por incrível que pareça, tornam o texto mais bonito e sonoro do que os textos alegres, descontraídos.
Aliás, quando tudo está bem, as palavras não saem, pois apenas sentimos... mas quando estamos sozinhas, as palavras vêm sentidas, encaixam-se no lugar certo para o que estamos querendo dizer.
Gostei muito da simbologia que você usou para falar de um amor que morreu, ou pelo menos, adormeceu...
A escrita feminina difere muito da escrita masculina. É mais específica, direcionada e atinge melhor o alvo. Adorei!

Beijos!

Lu

L. Rafael Nolli disse...

Uma bela reflexão sobre os desencontros amorosos. "quando se está só,a falta é mais clara".
Abraços.

Pelos caminhos da vida. disse...

Eu já me acostumei pois todos os dias estou só.

Fim de semana de luz.

beijooo.

NEZIO JALOTO - Miojo disse...

Bonito o conto, e me parece verídico, portanto, minhas palavras a respeito são as seguintes: de tudo o que foi, morreu, acabou, faça um conto, poesia, poema ou qualquer coisa que o valha, mas evidenciando as coisas boas que aconteceram e você verá que a dor irá desaparecer mais rápido, por um simples motivo: pensamentos bons atraem coisas boas! Grd Bjo. Saudades.

Débora Camargos disse...

Te indico um bom livro.
"O que toda mulher inteligente deve saber". Eu amei! Sofro menos agora! Não sei se gostas desse tipo de leitura, mas em todo caso... Bjim

Daniel Savio disse...

Menina, não enterre o amor, apenas faço o transformar em algo mais, algo que valha a pena...

Fique com Deus, menina Luciana Costa.
Um abraço.